domingo, 29 de novembro de 2009

28/11/2009 - IX Duathlon ATC 2009

Tem coisas que aparecem na nossa vida e não dá para deixar a oportunidade passar. Na 6ª feira de manhã eu estava fazendo a lição-de-casa com a Beatriz, minha filha mais velha, e descobri, folheando uma revista, que haveria um Duathlon (natação-corrida) no sábado de manhã. Seria bem perto de casa e, aparentemente, daria para eu ir, apesar de estar em cima da hora.
Ainda de manhã, liguei no Alphaville Tenis Clube para me informar sobre o evento. Fui muito bem atendido pelo Odair, coordenador de esportes. Fiz a inscrição por e-mail e, o melhor de tudo, era gratuíto.
No sábado, deixei a Beatriz na igreja para o ensaio da dança e me dirigi ao ATC. Ao chegar, estavam correndo as crianças (uma distância mais reduzida, claro). A minha bateria seria mais tarde.
Fiquei lá assistindo e conhecendo algumas pessoas novas. Um pouco depois chegou uma velha amiga, a Maite, que conheço há mais de 30 anos. Ela aproveitou para "queimar meu filme" com o pessoal, como se eu fosse um grande atleta rsrss.
À medida que se aproximava a hora da minha bateria, foi chegando um pessoal triatleta, com camiseta do Ironman e coisa e tal. Comecei a desconfiar que o nível não seria tão amador assim mas, para minha estratégia e objetivos, isso não incomodou nem interferiu.
Todos ali foram bem simpáticos e atenciosos. Conheci alguns atletas de alto nível, das equipes Butenas, Antílope e 4any1. A quantidade de participantes não chegou a 100 pessoas.
A bateria anterior à minha foi bem forte, com os primeiros nadadores fechando os 500m um pouco acima dos 7 minutos. Eu tinha duas opções de estratégias:
1) Nadar mais solto (lento) para tentar uma corrida mais forte, ou
2) Nadar mais rápido, sair entre os 1os da bateria, e tentar acompanhar na corrida.
Minha meta mais ambiciosa de tempo, na natação, era de 8 min. Se fosse mais lento, 9 min, talvez.
Ao alinhar para minha bateria, vi que os outros 4 atletas não tinham um "perfil" tão forte como a bateria anterior mas, ao entrarmos na piscina para aquecer, vi que a raia 1 tinha um nado forte. Eu estava na raia 5, a última (e pior).
Dada a largada, eu comecei a nadar bem alongado, rápido mas sem fazer muita força. Fiz a primeira virada em 1o, acompanhado pela raia 4 ao meu lado e a raia 1 um pouco atrás.
Nas primeiras 4 ou 5 chegadas (o total eram 10), a raia 4 me acompanhou cabeça a cabeça. Eu fazia virada olímpica (melhor) e ele fazia virada simples (mais lenta), mas depois ele me alcançava na braçada. A raia 1 ficara uns 10 metros para trás, e os outros dois atletas (raias 2 e 3) eram meros coadjuvantes.
Após a metade da natação, meu vizinho caiu de rendimento, mas a raia 1 encostou e quase me passou. Bati o final da natação apenas uns 2 ou 3 segundos antes da raia 1, e uns 15 segundos à frente da raia 4. Tempo de natação: 7min57seg. Excelente.
Na transição, o cara da raia 1 foi MUITO rápido. Enquanto eu acabava de amarrar meu primeiro tênis, vi o sujeito sair para correr. Calcei e amarrei o outro tênis e fui atrás dele. Estava em 2º lugar na bateria.
Nadei com a cinta do monitor cardíaco por dentro da sunga. Ao começar correr, posicionei-a na altura do torax e fui monitorando a frequência, pois o ritmo estava bem forte.
A corrida seria em duas voltas ao redor do clube. Logo no início consegui visualizar o primeiro colocado a uma certa distância, mas preferi não forçar no começo pois estava tentando acertar a respiração. A diferença entre nós foi se mantendo constante e, logo após o fim da primeira volta, percebi que comecei a me aproximar.
Mas, toda hora que eu me aproximava, ele olhava para trás, me via chegando, e apertava o passo. Então, fiquei naquele jogo de gato e rato. Se ele vacilasse, eu dava o bote, mas eu não estava em condições de ir muito mais forte, pois já estava me empenhando bastante. O terceiro colocado (aquele que nadou na raia 4) tinha simplesmente desaparecido. Devia estar correndo devagar.
Na segunda volta eu consegui realmente me aproximar do primeiro colocado, mas não foi o suficiente para passá-lo. No último trecho, já dentro do clube, ele deu um sprint e eu não consegui responder. Mas fiquei satisfeito com minha performance, e ele me ajudou a fazer um bom ritmo durante toda a corrida.
Após chegar, percebi um fato muito inusitado: o vencedor da minha bateria tinha corrido de Croc! Por isso ele foi tão rápido na transição! Mas, convenhamos, este não é um calçado muito convencional para se correr, né?
Bom, depois eu descobri que ele nem era da minha categoria. Na hora da premiação, para minha surpresa, eu fiquei em 2º na categoria 31-40 anos masculino (havia somente uns 6 ou 7). E cadê aqueles ironmen? Não sei, mas fiquei muito feliz de subir ao pódio.
Ainda ganhei um brinde bem bacana no sorteio, que dei para a Beatriz.
A distância da corrida, originalmente divulgada como 3850 metros, devia ter um pouco mais. Medindo no Map My Run, deu 4,23Km (veja aqui). Na minha marcação, fiz em 20:42. Somado à natação e à transição (37seg), o tempo total foi de 29:16.
Detalhe para a medalha: de prata, veio com a categoria escrita. Ou seja, não existe outra igual à minha.
ua

10 comentários:

Mayumi disse...

Parabéns, Fabão! Olha só, aparências enganam e metem medo na gente, né? Rsrs. Cadë os "Ironman"?! Mas, como o teu colega aí correu com Croc? Eu acho que tropeçaria! Rsrs.

G.M. disse...

Congratulações, Fabão.
Taí uma coisa que eu nunca faria: um duathlon !
Parabéns !
Muito bacana você ter obtido a medalha de prata.
Legal um pódium !
Você merece !
Ass.: Guilherme.

Fábio Namiuti disse...

Parabéns pela prova-surpresa (adoro essas!) e pelo excelente resultado, Fabão!

Abraço e boa semana.

F.N.

Fabão disse...

Oi Mayumi
Acho que os ironmen estavam em outras categorias. Pelo menos um deles, que eu conversei, tinha 41 anos e, por um triz, não caiu na minha categoria (31-40).
O cara que correu de croc me disse que é nadador, e não costuma correr. Segundo ele, não incomodou correr de croc, mas no começo da 1a volta, quando ainda estávamos molhados da piscina, eu ouvi um baita barulhão na pisada dele.
ua

Fabão disse...

Oi Guilherme
Agradeço pela visita e pelas nobres palavras :D
Mas, "nunca diga nunca".
Quem sabe não nos encontramos, um dia, dentro da piscina rsrs. Eu não me surpreenderia se um dia vc nadasse mais rápido que eu, da mesma forma que já corre mais rápido.
ua

Fabão disse...

Oi Xará F.N.
Realmente, foi uma ótima surpresa.
Boa semana p/ vc tb.
ua

Mayumi disse...

Fabão, respondendo à sua pergunta sobre a minha idade, eu tenho bem mais do que a que vc escreveu lá no meu blog! Não preciso esconder de ninguém, não: tenho 46 anos! Não sou da sua categoria! Rsrsrsrs. Só faltava! Não tomo anabolizantes! Rs.

Joka disse...

Show Fabão!!! Mandou bem guerreiro...rsrs

Luciane disse...

Olá...

Por um acaso encontrei seu blog através de outros que fazem parte do meu blog. Também tenho um blog sobre corridas (www.lucy-justrun.blogspot.com) e achei o seu bem bacana. Fiz natação desde os 7 até os 17 anos. Depois, tive que parar, por causa de cursinho e tudo mais. Hoje, 15 anos depois, tenho muita vontade de voltar a nadar, até para participar de uma prova como essa, mas acho que já perdi o ritmo e também porque a corrida me toma muito tempo.
De toda forma, dá uma passadinha lá pelo meu blog e se gostar, segue...

abraços e ótimos treinos

Fabão disse...

Oi Luciane

Com certeza, após 15 anos você realmente deve ter perdido o ritmo para a natação. Mas, claro, se você voltar a treinar, depois de alguns meses deve pegar o jeito de novo. O principal é ter uma boa base, fazer os movimentos certos e alongados, deslizar bastante, enfim, ter os fundamentos bem assimilados. É bem difícil um adulto aprender natação, demora bastante, mas se vc já sabe, basta "desenferrujar".

Eu recomendo fortemente a prática de natação, com benefícios diretos na performance da corrida. Pode testar sem medo: faça natação duas vezes por semana, durante 6 meses, e verifique como isso reflete positivamente na sua corrida.

ua