segunda-feira, 18 de junho de 2012

17/06/2012 - 18ª Maratona de São Paulo

Essa era minha prova-alvo depois da Maratona da Disney, em janeiro, mas não me preparei direito e fui para a largada sem grandes expectativas. Meu plano original seria intercalar trote e caminhada, apenas para chegar até o final.
O clima na largada estava bem agradável, nublado e frio. O tiro de canhão não atrasou tanto, sendo realizado por volta das 8:30. Mais uns 10 minutos até eu passar a linha de largada, e lá fui eu para a maratona de SP.
Consegui manter um ritmo bem confortável, não tive qualquer problema relevante, mesmo com o Sol que apareceu a partir das 9h.
Encontrei meus pais, esposa e filhas na Praça Panamericana, e estava me sentindo bem, dentro do possível.
No retorno próximo ao Parque Villa Lobos visualizei o Hideaki, cerca de 1km à minha frente. Talvez encontrasse com ele mais adiante, mas não podia tentar buscá-lo pois aumentar o ritmo estava fora de questão.
Por volta do km 20 emparelhei com o Geraldo e fomo juntos até o km 25, onde ele acabava sua prova e eu planejava começar a caminhar. Ali, na Av. Escola Politécnica, eu imaginava que o Sol seria um inimigo chato, mas como ainda havia algumas sombras no trecho de ida, resolvi continuar trotando. Vi que estava alcançando o Hideaki, e fiquei a poucos metros dele até um pouco depois do retorno. Mas, logo depois do controle de chip, perto da marca de 27km, resolvi caminhar porque o Sol estava batendo direto.
Nesta caminhada bateu um desânimo, resultado direto da minha falta de treino e da minha fraqueza motivacional no momento.
Andei até o km 28 e parei, cedendo à tentação de haver um ônibus da organização por ali. Por mim, eu já voltava direto para a casa dos meus pais, onde me hospedei para a prova, mas eu tinha deixado algumas coisas no guarda volumes e, por isso, voltei até o Obelisco do Ibirapuera para resgatar meus pertences.
Realmente me surpreendi como estava mais bem preparado do que imaginava. Na região do Ibirapuera ainda dei uns trotinhos para pegar minha sacola no guarda-volumes, e depois corri mais um pouco para encontrar meus pais. Acho que o que pesou mesmo foi a parte motivacional/psicológica, e também a adaptação de treinos longos no calor/Sol. (Nem estava tão quente, só sentia quando o Sol batia direto).
Agora vou reformular minha estratégia de treinos. Eu tinha planejado ficar 1 mês de "repouso ativo", mas como meu desgaste foi mínimo, acho que depois de 1 semana já posso voltar aos treinos sérios novamente.
Seguem minhas anotações pessoais de tempo:

1- 20.36 (3km)
2- 19.47 (3km)
3- 19.47 (3km)
4- 19.32 (3km)
5- 19.47 (3km)
6- 19.38 (3km)
7- 20.52 (3km)
8- 20.01 (3km)
9- 20.56 (3km)
10- 9.53 (1km) (parei)

ua

7 comentários:

claudio dundes disse...

é isso aí, Fabão, foi sensato. E eu que nem fui, de ultima hora soube das olipimpiadas da escola do Henrique... Alguém na familia é atleta de verdade. E eu vibro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Grande abraço, prazer grande em revê-lo.

Abraço do Claudio Dundes

Fabio Matheus disse...

Fala Fabão, realmente vc parecia bem naquele trote no obelisco. Fiz os 25km com um tempo a contento, mas estou todo dolorido, para a maratona ainda to longe dela.

Abraço e parabéns.

Fábio Namiuti disse...

Parabéns pela participação, Fabão. Pena que não nos vimos por lá. Abraços!

G.M. disse...

Obrigado pela força lá no blog, Fabão.
Força aí, ok?
Ass.: Guilherme.

Fabão disse...

Valeu, Claudião, Fábios Matheus e Namiuti, e Guilherme.
Desta vez eu fiquei devendo. Acredito que para 2013 estarei melhor.
ua

Ivo Cantor corre e conta disse...

Prezado Fábio, em dois dias vi-o três vezes e em todas foi uma alegria reencontrar o prezado amigo. Até os próximos 42!

Fabão disse...

Valeu, Ivo. Espero encontrá-lo em breve.
ua
Fabão